Quatro perguntas para Rosita Missoni



Foto: Guilherme Lara Campos/Fotoarena
Rosita Missoni em palestra no Casa Cor Stars

 Ela é finezima!

Leitoras do Delas entrevistam a fundadora de uma das maiores grifes da Itália

Convidada especial da quarta edição do Casa Cor Stars, Rosita Missoni inspirou e encantou a todos os presentes no evento realizado nesta manhã, no shopping Iguatemi, em São Paulo. Prestes a completar 80 anos, ela surpreendeu com sua vitalidade, bom humor e paixão pelo trabalho, iniciado na década de 1950, ao lado do marido Ottavio, 90. “Minha família tinha uma pequena malharia na Itália e continuar nessa área foi algo natural”, contou ela durante a palestra.

Em sua primeira visita ao Brasil – “me dei essa viagem de presente. Só conhecia o País por litogravuras” – ela relembrou sua história e sanou a curiosidade de quatro leitoras do Delas que participaram do concurso cultural “Rosita Missoni no Iguatemi com o Delas” enviando suas perguntas. Confira as respostas.


@Rick_Bundchen: Suas estampas inspiraram estilistas do mundo todo. Sente orgulho do sucesso da Missoni?
Rosita Missoni:
Nosso negócio começou de forma simples e até hoje continua a ser uma empresa familiar. Minha família já tinha uma pequena malharia e Ottavio, que era um atleta - já tinha participado das Olimpíadas e havia aberto uma loja, decidiu continuar com os tecidos. No início da década de 50, quando estava nascendo o prêt-à-porter, nos chamaram para fazer uma pequena coleção para um grande magazine italiano e dali fomos crescendo. Os críticos nos chamavam de inovadores. Tínhamos apenas quatro máquinas de tear simples e tentávamos inovar com as cores. Sempre fui apaixonada pelas cores, mas, na verdade, acho que sempre tivemos muita sorte. Só percebi que cheguei no topo quando as pessoas começaram a nos copiar. E, aí, o trabalho é subir ainda mais.

@Falayu: De onde veio a ideia de levar sua moda para a decoração?
Rosita Missoni:
Em 1997 minha filha Angela tomou a frente das criações da marca, o que me aliviou muito, porque meu ritmo de vida já não correspondia mais a essa exigência. Eu queria viver no campo, onde temos fábrica, e não ficar saindo tanto, indo a eventos sociais e buscando referências que o trabalho de criação exige. Mas, se tinha perdido o interesse pela moda, a casa ainda me trazia grande prazer. E vi que, nesse momento, ela estava ganhando maior importância e podia trazer mensagens, cores e design. Sabia que minha experiência podia ajudar nisso. Já fazíamos algumas coisas voltadas à decoração, mas tinha um foco mais comercial. Então decidi assumir essa área e deixá-la mais alinhada com a moda.

@lelynha1: A que a senhora atribui o fato de suas criações serem classificadas como luxo, apesar de passar uma ideia de simplicidade?
Rosita Missoni:
Temos uma produção de alta qualidade muito controlada, toda feita por nós mesmos. Isso torna tudo muito caro e exclusivo.

@elidepiquena: Que sonho ainda não realizou?
Rosita Missoni:
Tenho muitas fantasias, mas sonhos... Espero continuar a ter boa saúde.




 fonte:ig

  • Digg
  • Del.icio.us
  • StumbleUpon
  • Reddit
  • RSS

4 comentários:

Neila Bahia disse...

Phyna, chic, tuda!
Perfeita, né amiga?

maN bOwerline disse...

Adora a entrevista e o look dela.boa noite!

***PS:Sumi por motivo de força maior(estava sem internet)¬¬

Artistic creative nails disse...

Adorei!!

Estou te seguindo, vc pode me seguir tbm ?
Beijos! =)

http://artisticcreativenails.blogspot.com/

TWITTER: @ArtisticCNails

falando sobre tudo disse...

Quer assistir canais de TV por assinatura www.tvhd.com.br

Postar um comentário